arquivo | Literatura RSS para esta seção

Os dois amores de Vitório

Play it again sam, casablanca,

*Autor convidado – Khalil

 

Saiu do alfaiate com um pacote debaixo do braço e ao entrar no carro colocou-o no banco de trás, ao lado das flores que tinha comprado minutos antes. Eram rosas vermelhas que tinham a companhia de um cartão que dizia: “Desisto. O nome deste ritual é saudade”, assinado Rick Blaine.

Antes de dar a partida no veículo, Vitório tirou uma fita K7 do bolso, colocando-a no aparelho. Com um misto de melancolia e mágoa, ordenou: “Se ela agüentou, eu também agüento. Toque Sam”. E Dooley Wilson, o Sam, de Casablanca, estava naquele momento com sua voz cantando o eterno As Time Goes By, canção que por centenas de vezes ouvira com Luiza, a quem se destinavam as flores. Só que agora ele estava sozinho, invadido de saudade.

Leia Mais…